Para que o Portal possa funcionar corretamente, instalamos pontualmente no seu computador ou dispositivo móvel pequenos ficheiros denominados cookies ou testemunhos de conexão.

RITO DA FLORESTA

Votos de utilizador:  / 22
FracoBom 
AddThis Social Bookmark Button

"E o Senhor Deus fez brotar da terra toda qualidade de árvores agradáveis à vista e boas para comida, bem como a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal". (GÊNESIS 2.9)

A madeira é o símbolo do inicio da vida, de uma árvore Eva colheu a maçã e por isso desceu do paraíso para colonizar a terra, a relação entre a madeira e o homem é antiga, escrita em várias passagens do velho testamento, de madeira de acácia foi construída a Arca da Aliança que serviu de depósito para as tábuas da lei, desde os primórdios da raça humana a madeira teve um papel essencial para a sobrevivência do homem, como instrumento de moradia deu abrigo ao corpo e alimento ao espírito, serviu de lenha a fogueira e de telhado.

Ao confrontarmos esta realidade percebemos dois lados distintos de um mesmo material, o lado da vida e o lado da morte, ao lado da vida a madeira é o instrumento que impulsionou o progresso da humanidade, servindo de templo a deus e de refúgio aos homens. Ao lado da morte, confrontamos a morte da madeira onde ela incendeia e vira cinzas sacrificando assim o seu corpo para nos alimentar com o calor produzido pela sua queima, na verdade ela apenas sofre uma metamorfose, transformando a sua forma, mas mantendo o seu espírito, pois uma vez queimada ela vira cinzas e volta para a terra de encontro ao seu criador de onde um dia brotou.

"...Porque há esperança para a árvore, que, se for cortada, ainda torne a brotar, e que não cessem os seus renovos..." (JÓ 14.7)

Ao lançar uma semente ao solo o homem espera o nascer de uma planta e enxerga apenas mais uma árvore ao longo do campo, mas nós não somos apenas homens meus caros Primos Fendedores, nós somos iniciados nos mistérios da natureza e vimos à luz do mundo proveniente do Grande Arquiteto do Universo, para nós o sentido da semente deve ser mais amplo, pois podemos nos comparar a uma semente lançada ao solo, ao semear o solo em uma mesma cova, várias sementes são lançadas com a esperança que uma delas nasça e vire uma bela árvore, não muito diferente do nosso inicio da vida onde dentro do útero milhares de espermatozóides nadam ao atingir o óvulo a ser fecundado, a árvore ao ser germinada recebe o sopro da vida assim como nós ao sermos criados recebemos nossa alma e o sopro do GADU que nos ilumina e nos cede um pouco da sua luz para que caminhemos sobre a terra, o crescer de uma planta se assemelha ao nosso crescimento onde temos que lutar para sobreviver a cada dia, ambos precisamos de água e tememos sucumbir durante a vida, ambos fazemos grandes esforços para que os nossos frutos sejam férteis e úteis e que maior satisfação para nós do que saber que os nossos frutos alimentaram alguém e o fizeram crescer e se tornar feliz, todos nós lutamos a cada dia para subir mais um degrau na escada de Jacó assim como a árvore traça o seu caminho vertical, na velhice nos contentamos em fazer uma boa sombra para os que estiverem a nossa volta e ao deixar este mundo partimos felizes por ter deixado um legado de felicidade onde muitos se lembraram de nós pelos frutos que deixamos ou por nossa majestosa presença.

"...O fruto do justo é árvore de vida; e o que ganha almas sábio é..." (PROVÉRBIOS 11.30)

A potencia natural da árvore e da madeira está descrita através dos tempos, serviu de cruz para Jesus, de combustível para a fogueira onde aqueceu muitos povos, mas também consumiu muita carne, como na dualidade da vida o homem também pode percorrer dois caminhos o da madeira usada para construir e aquecer e aquele usado para destruir, assim como a dualidade da vida a árvore que já viu enforcarem muitos em seus galhos serviu de casa e lar.

"... Inseparável do fogo, portanto da luz, a sombra. A sombra da árvore que, gira em torno de si forneceu o primeiro relógio solar, o primeiro quadrante solar...".

O bastão é de fato o princípio das ferramentas de trabalho é a mola impulsionadora da arte do trabalho serviu como primeiro elemento de manejo, originado a partir deste as ferramentas que seriam usadas no manejo da madeira e mais tarde da pedra, serviu também de símbolo de poder.

O Ritual da Floresta teve seu surgimento associado às confrarias de fendedores (lenhadores), que dedicavam a vida ao culto da madeira e a alquimia que consistia na transformação da matéria viva em objetos de serventia ao homem. A sua técnica e a transmissão de seus segredos de ofício foram incorporados aos rituais que permitiam que o bom fendedor realizasse o trabalho com maestria e seguindo as leis naturais.

Com o Ritual da Floresta os fendedores buscavam o seu caminho até Deus usando como base de ensinamento as suas técnicas copiadas do seio da floresta e assim associadas à presença do criador, extraindo o caminho moral a partir de seus instrumentos de ofício.

Este rito era praticado nas grandes florestas da França, Suíça, Noruega, Alemanha e Áustria, o ritual tem sua fonte provável nos Carpinteiros anteriores, os mais antigos, com grande influência cristã, sendo essencial a todos os carpinteiros de todas as especialidades e os Bons Primos Fendedores.

A natureza nos traduziu grande parte de nossos rituais e da nossa cultura ela ensina o modo de ser e de agir, podemos colher dentro de uma floresta milhares de ensinamentos ao observarmos um único ramo de um galho, como disse Hermes o Trimegisto "tudo que está em cima, está em baixo" ou seja, a terra é um espelho do céu e os ensinamentos de Deus podem ser notados ao observarmos a harmonia de uma floresta. No seio da floresta muitos ritos e rituais nasceram os chamados pagãos tentavam encontrar Deus através da natureza e muitos por isso foram condenados por praticas de bruxaria, porem muitos foram respeitados e hoje sabemos que foram percussores da atual maçonaria, os Druidas, por exemplo, eram magos da virtude e os seus rituais aconteciam dentro das florestas associando o homem ao poder da natureza e construindo assim o saber básico da formação da vida.

    P. - Quantas madeiras um irmão deve conhecer?
    R. - Quatro.
    P. - Quais são elas?
    R - O carvalho, o ulmeiro, a espinheira e o cedro.
    P. - Dê-me uma explicação.
    R. - O ulmeiro é a madeira que serviu para fazer o ataúde de nosso senhor, o carvalho a cruz onde ele expirou, a espinheira a coroa que lhe foi colocada o cedro onde Judas se enforcou.

Muito antes dos pedreiros livres terem surgido, os madeireiros livres já existiam, as confrarias de madeira são muito anteriores as de pedra, muitos dos rituais hoje existentes foram extraídos destas confrarias que já existiam há séculos, Hiran Abiff ao ser convidado a participar da construção do tempo de Salomão já trouxe consigo todo o conhecimento necessário para trabalhar na madeira, pois seu pai prevendo que o filho seria um grande mestre construtor e necessitaria deste conhecimento já o havia introduzido na confraria dos "Bons Primos Fendedores" onde este aprendeu e desenvolveu a sua técnica de construção, trabalhando nas florestas do Líbano tanto na sua confraria como em obras de destaque, razão pela qual sua fama cresceu e seu nome foi especialmente escolhido por Hiram Rei de Tiro para tomar parte nos trabalhos de construção no Templo de Jerusalém.

"...A natureza é um Templo onde pilares vivos às vezes deixam escapar confusas palavras, o homem passa por florestas de símbolos que observam com olhares familiares..."

 João disse: (O Senhor) "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento...  ...E já está posto o machado á raiz das árvores; toda árvore, pois que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo... ...Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo... ... ele queimará a palha em fogo  inextinguível." (Mateus 3.8, 3.10, 3.11 e 3.12)

"...Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor... ...Porque é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto..." (JEREMIAS 17.7 e 17.8)

"...No monte alto de Israel o plantarei; e produzirá ramos, e dará fruto, e se fará um cedro excelente. Habitarão debaixo dele aves de toda a sorte; à sombra dos seus ramos habitarão...  ...Assim saberão todas as árvores do campo que eu, o Senhor, abati a árvore alta, elevei a árvore baixa, sequei a árvore verde, e fiz reverdecer a árvore seca; eu, o Senhor, o disse, e o farei..." (EZEQUIEL 17.23 e 17.24)

Como vimos à madeira a árvore e a vida estão intimamente ligadas o elo fundamental que transmite a força entre os seres, o raio de luz vindo do supremo árbitro dos mundos é uno e estável e age de forma a transmutar a matéria inerte em força de vida, ela une o homem à natureza e cria laços inseparáveis numa relação de harmonia com a base da vida. Estas poucas palavras apenas serviram para que os Primos possam ter uma idéia dos Sagrados Rituais das Florestas, e de sua relação com o homem e com a maçonaria. A verdade é um pelicano de asas abertas à espera do abraço acolhedor da busca do conhecimento, este texto não encerra o assunto nem é absoluto em pensamento, ele apenas abre as portas do conhecimento para que cada um possa iniciar a sua busca pelo conhecimento gravado no seio da natureza.

"Aquele que escuta a voz do vento e se cala diante do carvalho, ganha a sabedoria das coisas que inertes transmitem mais palavras do que um orador eufórico" Ir.'. Flávio uma citação inspirada após a leitura deste maravilhoso livro.


BIBLIOGRAFIA
Os Sagrados Rituais Maçônicos das Florestas, Príncipe Asklépius D'Sparta. Ed Madras, São  Paulo, 1998.
Biblia Sagrada

Flávio Dellazzana, M.'. M.'.
A.'.R.'.L.'.S.'. PEDRA CINTILANTE, 60
G.'.O.'.S.'.C.'./C.'.O.'.M.'.A.'.B.'., BRASIL