Para que o Portal possa funcionar corretamente, instalamos pontualmente no seu computador ou dispositivo móvel pequenos ficheiros denominados cookies ou testemunhos de conexão.

TRABALHO A.'.M.'.O.'.R.'.C.'. - 2

Votos de utilizador:  / 8
FracoBom 
AddThis Social Bookmark Button

A TRANSMUTAÇÃO MENTAL

“A Mente (tão bem como os metais e os elementos) pode ser transmutada de estado em estado, de grau em grau, de condição em condição, de pólo em pólo, de vibração em vibração. A verdadeira transmutação hermética é uma Arte Mental”.
“Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente, possui a Chave Mágica com a qual todas as Portas do Templo podem ser abetas completamente”.

– O Caibalion -

Como dissemos, os Hermetistas eram os antigos alquimistas, astrólogos e psicologistas, tendo sido Hermes o fundador destas escolas de pensamento. Da astrologia nasceu a moderna astronomia; da alquimia nasceu à moderna química; da psicologia mística nasceu à moderna psicologia das escolas. Mas não se pode supor que os antigos ignoravam aquilo que as escolas modernas pretendem ser sua propriedade exclusiva e especial. As memórias gravadas nas pedras do Antigo Egito mostram claramente que os antigos tinham um grande conhecimento de astronomia, a verdadeira construção das Pirâmides representando a relação entre o seu desenho e o estudo da ciência astronômica. Não ignoravam a Química, porque os fragmentos dos antigos escritos mostram que eles conheciam as propriedades químicas das coisas; com efeito, as antigas teorias relativas à física vão sendo vagarosamente verificadas pelas últimas descobertas da ciência moderna, principalmente as que se referem à constituição da matéria. Não se deve crer que eles ignoravam as chamadas descobertas modernas em psicologia; pelo contrário, os egípcios eram especialmente versados na ciência da Psicologia, particularmente nos ramos que as modernas escolas ignoram; que, não obstante, têm sido encobertos sob o nome de ciência psíquica, que a confusão dos psicólogos da atualidade, fazendo-lhe com repugnância admitir que afinal possa haver alguma coisa nela.

A verdade é que, sob a química material, a astronomia e a psicologia (que é a psicologia na fase de ação do pensamento), os antigos possuíam um conhecimento da astronomia transcendente, chamada astrologia; da química transcendente, chamada alquimia; da psicologia transcendente chamada psicologia mística. Possuía o Conhecimento Interno como o Conhecimento Externo, sendo o último o único possuído pelos cientistas modernos. Entre os muitos ramos secretos de conhecimento possuídos pelos Hermetistas estava o conhecimento sob o nome de Transmutação Mental.

Transmutação é um termo usualmente empregado para designar a antiga arte da transmutação dos metais; particularmente dos metais impuros em ouro. A palavra transmutar significa mudar de uma natureza, forma ou substância, em outra; transformar (Webster). E da mesma forma, Transmutação Mental significa a arte de transformar e de mudar os estados, as formas e as condições mentais em outras. Assim podes ver que a Transmutação Mental é a Arte da Química Mental ou se quiserdes; uma forma da Psicologia Mística prática.

Porém estas significações estão muito longe de serem o que exteriormente parecem.

A Transmutação, Alquimia, ou Química, no Plano Mental é certamente muito importante nos seus efeitos, e se a arte cessou agora, assim mesmo não pode deixar de ser dos mais importantes ramos de estudos conhecidos pelos homens. Mas isto é simplesmente o principio. Vejamos a razão!

O primeiro dos Sete Princípios Herméticos é o principio de Mentalismo, o seu axioma é “O TODO é Mente; o Universo é Mental”, que significa que a Realidade Objetiva do Universo é Mente; e o mesmo Universo é Mental, isto é existente na Mente do TODO.

Se o Universo é Mental na sua natureza, a Transmutação Mental pode ser considerada como a arte de MUDAR AS CONDIÇÕES DO UNIVERSO, nas divisões de Matéria, Força e Mente. Assim compreendereis que a Transmutação Mental é realmente a Magia de que os antigos escritores muito trataram nas suas obras místicas, e de que dão muito poucas instruções práticas. Se Tudo é Mental, então a arte ensina a transmutar as condições mentais pode tornar o Mestre diretor das condições materiais tão bem como das condições chamadas ordinariamente mentais.

De fato, nenhum alquimista, que não esteja adiantado na Alquimia mental, pode obter o grau necessário de poder para dominar as grosseiras condições físicas e os elementos da Natureza, a produção ou cessação das tempestades e dos terremotos assim como de outros grandes fenômenos físicos. Que tais homens tenham existido e existam ainda hoje, é matéria da maior certeza para todos os OCULTISTAS ADIANTADOS de todas as escolas. Que existem Mestres e que eles têm estes poderes, os melhores instrumentores asseguram-no aos seus discípulos, tendo experiências que os justificam nestas opiniões e declarações. Estes Mestres não exibem em público os seus poderes, mas procuram o afastamento do tumulto dos homens, com o fim de abrir melhor o seu caminho na Senda do Conhecimento. Mencionamos aqui a sua existência simplesmente com o fim de chamar a vossa atenção para o fato de que o seu poder é inteiramente Mental, e de que eles operam conforme as linhas da mais elevada Transmutação Mental, e em conformidade com o Principio Hermético de Mentalismo. “O Universo é Mental” – O Caibalion.

Porem os discípulos e os Hermetistas de grau inferior aos Mestres – os Iniciados e Instrutores – podem facilmente operar pelo Plano Mental ao praticar a Transmutação Mental. Com efeito, tudo o que chamamos fenômenos psíquicos, influência mental, ciência mental, fenômenos de novo pensamento, etc., se realiza conforme a mesma linha geral, porque nisto está mais um principio oculto, do que a matéria cujo nome é dado ao fenômeno.

O discípulo que é praticante da Transmutação Mental opera no Plano Mental, transmutando as condições mentais, os estados, etc., em outros, de acordo com diversas fórmulas mais ou menos eficazes. Os diversos tratamentos, as afirmações e negações, etc., das escolas da ciência mental são antes fórmulas, freqüentemente muito imperfeitas e incientíficas, da Arte hermética. As maiorias dos praticantes modernos são muito ignorantes em relação com os antigos mestres, pois eles carecem do conhecimento fundamental sobre que é baseada a operação.

Não somente os próprios estados mentais podem ser mudados ou transmutados pelos métodos herméticos; mas também os estados mentais dos outros podem ser, e mesmo são constantemente transmutados na mesma direção, quase sempre inconscientemente, mas às vezes conscientemente, por uma pessoa que conheça as Leis e os princípios, nos casos em que a pessoa influenciada não esteja informada dos princípios da proteção própria. E, ainda mais, como sabem diversos discípulos e praticantes da moderna ciência mental, toda condição material que depende das mentes dos outros pode ser mudada ou transmutada de acordo com o desejo, à vontade e os tratamentos reais da pessoa que deseja mudar as condições da vida. Na atualidade o público está informado geralmente destas coisas, que não julga necessário menciona-las por extenso; porque o nosso propósito a este respeito é simplesmente mostrar a Arte e o Principio Hermético de Polaridade.

Procuramos estabelecer os princípios básicos da Transmutação Mental, para que todos os que lêem possam compreender os Princípios secundários, e possuir então a Chave-Mestra que abrirá as diversas portas do Principio Hermético de Polaridade.

Vamos fazer agora uma consideração sobre o primeiro dos Sete Princípios Herméticos: o principio de Mentalismo, que afirma a verdade que “O TODO é Mente; o Universo é Mental”, conforme as palavras do Caibalion. Este é o principio básico de toda a FILOSOFIA HERMÉTICA e da Arte hermética de Transmutação Mental.

“O TODO é MENTE; o Universo é mental”
– O Caibalion –

Este Princípio é muito importante a conhecer. Os cabalistas comparam o Espírito ao éter que se acha dentro de um vidro. Enquanto o vidro estiver tampado, estará cheio de éter, mas desde que a rolha saia, o éter começa a sair também. O vidro sendo comparado ao corpo físico, à rolha ao astral e o éter ao Espírito: o astral é que prende o espírito ao físico e assim como todo o éter não sai repentinamente do vidro, assim também a morte não se produz repentinamente, salvo em raríssimos casos anormais.

A matéria não é mais a que a força mental coagulada. Para exprimir isto os cabalistas comparam o Espírito a um pedaço de estanho, que em contato com o calor (amor divino, luz divina) se derrete, se sutiliza e purifica; porém, estando afastado desse calor, endurece, condensa-se e cai na matéria (mentira da sensibilidade reflexa).

Deixamos aos cuidados dos discípulos o tirarem todas as conseqüências deste Princípio de Mentalismo.

Não podemos deixar de assinalar que ao CIRCULO ESOTÉRICO cabe a glória de ser o primeiro a propagar estas idéias na América do Sul.

“Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente, possui a Chave Mágica com a qual todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente”.
-O Caibalion-

Ele reúne as principais propriedades do setenário; indica-lhe a composição; exprime hieroglificamente a essência e as transformações da substância universal. Tudo é quatro de três na luz e na vida. O ciclo do movimento perfeito é três de quatro ou quatro de três; ai está à quadratura do circulo, ai está também à pedra filosofal, representada nos símbolos maçônicos pela pedra cúbica composta de seis quadrados e de quatro triângulos.

O que lhe dá a Cruz do Templo e a Cruz Latina. A Cruz do Templo dobra-se em pirâmide e coroa por essa imagem do principio divino e do fogo as seis faces do cubo, como o tetragrama acrescentado aos seis dias de Bereschith dá dez e significa apenas sete.

A figura da pedra cúbica é precisamente a das pirâmides, cujos alicerces são cúbicos, o que lhes dá uma força superior à dos elementos e das idades.

Desse modo, o setenário que é o número do repouso, isto é, da estabilidade, assenta-se firmemente. Quando se diz que Deus descansou, quer-se com isso exprimir a perfeição do trabalho da natureza, que uma vez constituída sobre o setenário, parece nada deixar por fazer a seu autor.

Há sete anjos que assistem diante da face de Deus, diz a Escritura. Mas desses sete, a Bíblia só dá o nome de três, que são:

  1. Miguel ou Mica-el; o gênio particular do judaísmo, seu nome significa: quem é como Deus! (quis ut Deus!) É o destruidor dos ídolos; é ele que disputa com Satã o corpo de Moisés, isto é, que defende a Igreja judaica contra as odiosas ficções do Inferno. É ele que deve reconduzir Israel à época do reino messiânico. Tunc consurget Michael princeps magnus!

  2. O segundo anjo nomeado pela Escritura é Gabriel, cujo nome significa: a humanidade de Deus. Ele é o gênio do cristianismo. Daniel viu-o caminhando sobre as águas; com efeito, Gabriel dirige e governa as águas celestes que temperam os ardores da serpente ígnea. É o anjo da mulher que ele aclama soberana como companheira do mestre. Dominus tecum. Bendita por ela mesma (benedicta tu) e em todas as mulheres (in mulierribus) por causa de seu fruto libertador (et benedictus fructus ventris tui Jesus!). Gabriel também é o anjo da esperança.

  3. Rafael, cujo nome significa medicina de Deus, deve remediar a todos os males da humanidade. É ele quem conduzirá a nova geração a todos os males da humanidade. É ele quem conduzirá a uma nova geração, figurada pelo jovem Tobias, e que lhe fará encontrar sua salvação no peixe monstruoso que parecia querer devorá-lo. Esse peixe simbólico é o peixe de Jonas. É também o peixe das catacumbas, onde se encontra freqüentemente um peixe abaixo do monogramo sagrado... Como foi se perder toda a ciência? Quomodo obscuratum est aurum? Quando voltará o anjo Rafael para abrir os olhos dos cegos?...

Frateres e Sorores já sabem que o Egito; dividido e governado pelos grandes hierofantes, era todo ele um símbolo. Estava dividido em três reinos que se resumiam num só: o alto, o médio e o baixo Egito. O demônio acorrentado no alto Egito é a força fatal sujeita à autoridade legítima, é a restauração da arte sacerdotal e da arte real indicada pelas tradições de Moisés. Então o Neo-Judaísmo, ou o Cristianismo, pode tornar-se o esposo de Sara, cujo nome, tomado de empréstimo à lembrança da esposa de Abraão, caracteriza a Igreja antiga, sempre jovem, como a sabedoria e a verdade. Somente então ele pode tornar-se médico de seu pai, quando o fel do ódio ainda recente se transforma num bálsamo regenerador da vista do ancião. Israel terá sido santificado pela perseguição, o sangue do povo de Deus terá expiado o do homem-Deus, e aqueles que gritaram: “que seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos” compreenderão que se haviam dedicado a uma redenção mais imediata e mais abundante.

Acaso esse sangue não purifica tudo o que toca, e Israel não está todo vermelho, todo coberto por ele? Pois bem: nós, cristãos, filhos daqueles que crucificaram Israel, nós podemos gritar, falando desse grande povo: Que seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos, não para nos sujar, mas para nos absorver! Grandes sábios perseguidos com a tocha na mão, sem ver que tínheis na vossa o facho que deve iluminar e salvar o mundo, Mártires de Israel, rogai, rogai, rogai por nós!

Que assim seja!!!

 

Júlio Cesar Lobato, C.'.M.'.
Ordem Rosacruz - Brasil