O NOME DA PEDRA DESPREZADA

Trabalho no Grau de Mestre de Marca Estimados Ccomp., o presente trabalho teve como observação o canteiro de obras do Cristianismo alicerçado no novo testamento, sendo certo que há inúmeros outros respeitáveis canteiros de obras conhecidos como Judaísmo, Espiritismo, Budismo, Islamismo, Hinduísmo, Bramanismo, Pitagorismo, além de outras importantes construções, religiosas, …

OSÍRIS

Osíris é, indubitavelmente a mais célebre deidade do panteão egípcio e igualmente uma das mais complexas, pelo que não é, pois, de estranhar que os teólogos tenham procurado sintetizar os díspares aspectos desta personagem, através da criação de uma lenda. Para infortúnio de todos os amantes da mitologia egípcia a …

Ritual Português do Séc. XIX

De 1820 a 1869 praticaram-se na Maçonaria portuguesa seis ritos diferentes: o Rito Francês, o Rito Simbólico Regular, o Rito Escocês Antigo e Aceite, o Rito de Heredom, o Rito Eclético Lusitano e o Rito de Adopção:. Diga-se desde já que o primeiro e o terceiro predominaram, a grande distância, …

O PAINEL ALEGÓRICO DA LOJA DE APRENDIZ NO RITO DE YORK

Intuito: “aprender mais para servir melhor”. O painel alegórico dos graus “constituem ajudas visuais que ilustram os princípios ministrados em cada grau. O quadro do primeiro grau representa através de uma simbologia muito depurada o ser humano individual e o lugar que ocupa nos quatro mundos”. A representação do mundo …

ISÍS

  Nenhuma personalidade do panteão egípcio pode rivalizar com a deusa Ísis, sublime essência da alma de uma das mais excelsas e proeminentes civilizações da antiguidade e maga detentora do esplendor ofuscante que a conduziu até ao auge da popularidade. Surgindo na teologia heliopolitana como fruto dos amores entre o …

A Águia de Lagash

 Alguns símbolos adquiriram tal vigor que até o não iniciado sabe que o mesmo se refere à Maçonaria. O esquadro e o compasso são disso mesmo um bom exemplo: pessoas com um pouco de cultura os reconhecem como símbolo da maçonaria. Não sabem é, e só o iniciado sabe, …

A MAÇONARIA ADORMECIDA: BREVES INDAGAÇÕES

Muito intrigou-me o trabalho apresentado no tempo de estudo na Loja no dia 2 de outubro de 2013. Tal trabalho foi apresentado pelo I.: Silvio e em parca síntese tratava ele a evolução da humanidade, reconhecendo-nos como se fossemos “astronautas” em uma grande nave espacial chamada planeta terra. O trabalho …

Lendas e Tradições

I – SIMBOLISMO DOS MISTÉRIOS“No final do séc. XVII e pricípio do séc. XIX, muitos europeus, incluido Maçons, encaminharam-se para o Médio-Oriente, onde encontraram relíquias das culturas ancestrais que haviam praticado os Antigos Mistérios. Os Maçons de espírito filosófico reconheceram nelas semelhanças entre a sua Ordem e estas tradições ancestrais. …

MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 3

MORALS AND DOGMA PARTE III O presente trabalho trata-se da tradução do Capítulo Primeiro (Ou seja, do Grau de Aprendiz) da obra máxima de Albert Pike, “Morals and Dogma of the Anciente and Accepted Scottish Rite of Freemasonry”, traduzido e anotado por Mohamad Ghaleb Birani (M.’.M.’.). Clique aqui para ler …

A Maçonaria em Portugal

A introdução da Maçonaria em Portugal remonta ao segundo quartel do século XVIII:. Talvez por 1727, foi fundada por comerciantes britânicos estantes em Lisboa uma loja que ficou conhecida nos registos da Inquisição como dos “Hereges Mercadores”, por serem protestantes quase todos os seus membros:. Esta loja veio a regularizar-se …

MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 2

MORALS AND DOGMA PARTE II DE III O presente trabalho trata-se da tradução do Capítulo Primeiro (Ou seja, do Grau de Aprendiz) da obra máxima de Albert Pike, “Morals and Dogma of the Anciente and Accepted Scottish Rite of Freemasonry”, traduzido e anotado por Mohamad Ghaleb Birani (M.’.M.’.). Clique aqui …

Os Landmarks Maçónicos

SOBRE A REGULARIDADE MAÇÓNICA “Os maçons regulares, também ditos tradicionais ou de via sagrada, são aqueles que trabalham nas suas Lojas sob invocação de Deus, Grande Arquitecto do Universo, sobre o livro sagrado, o esquadro e o compasso. Quanto aos outros, ditos maçons irregulares, ou liberais, ou de via substituída, que …

MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 1

MORALS AND DOGMA Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry, prepared for the Supreme Council of the Thirty Third Degree for the Southern Jurisdiction of the United States: Charleston, 1871.[1] – Albert Pike O presente trabalho trata-se da tradução do Capítulo Primeiro (Ou seja, do …

Rito Escocês – Graus do R.E.A.A.

GRAU 1 – Aprendiz Avental de pele branca com a abeta (ou babadouro) levantada. Simbolicamente, o aprendiz é representado em mangas de camisa e com esta aberta no peito, numa alusão ao seu traje durante as provas de iniciação, em que se deve apresentar com peito nu, o joelho descoberto …

A INCLUSÃO MAÇÔNICA NO MUNDO

Em diversas jurisdições maçônicas ao redor do mundo, a lista de 25 Landmarks de Albert G. Mackey é respeitada como algo intocável, afinal, sua vigésima quinta regra assim determina, que os outros 24 Landmarks são imutáveis. O décimo oitavo traz em sua redação o impedimento de mulheres, escravos e aleijados …