Lista de Artigos

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
Artigos 281
  • A ESTRELA DE CINCO PONTAS Através dos séculos houve sempre a preferência por uma estrela de cinco pontas como figura dos astros de aparência menor do que a do sol e da lua. O planeta ...
  • EGRÉGORA – ENERGIA CONCENTRADA Egrégora – Energia concentrada da coletividade. Todo agrupamento de seres, gera uma força de coesão que mantém o grupo unido, não importa se consciente ou não. Isso possibilita um poder, um ...
  • ENSAIO: GNOSE Gnose – saber por excelência; ciência superior às crenças vulgares; conhecimento. Gnóstico – seguidor do gnosticismo. Gnosticismo – sistema teológico e filosófico que se atribui um conhecimento sublime da natureza e dos ...
  • AS QUATRO BORLAS – UM ANTIGO SÍMBOLO OPERATIVO AS QUATRO BORLAS – Um antigo Símbolo Operativo Para a Igreja Católica Apostólica Romana existem quatro virtudes cardinais ou virtudes cardeais que polarizam todas as outras virtudes humanas. Este conceito teológico destas ...
  • SALMO 133 – ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO SALMO 133 Ecce quam bonum et Quam iucundumhabitare fratres in unum Sicut unguentum in capite Quod descendit in barbam barbam Aaron Quod descendit in ora vestimenti eius Sicut rosHermon quod descendit Iin montem ...
  • MAÇONARIA E REDES SOCIAIS – UMA REFLEXÃO As redes sociais se constituem em hábito presente na vida de todos nós, atraindo cada vez mais e mais usuários, especialmente entre jovens já nascidos na era da mobilidade digital. ...
  • INSTRUÇÃO DE APRENDIZ 1 Em nossa segunda Instrução, nós aprendizes, tomamos contato com mais pormenores dos símbolos que até então nos eram desconhecidas as suas significações e simbologias. A exemplo, a orientação ...
  • SÃO JOÃO PADROEIRO DA MAÇONARIA: MAS QUAL JOÃO? São vários o João que acusam na história como Santos e Padroeiros de alguma entidade ou Instituição, no entanto, esta variedade não é tanta quando se trata do possível padroeiro ...
  • PITÁGORAS E A SUA FILOSOFIA O filósofo grego Pitágoras, que deu seu nome a uma ordem de pensadores, religiosos e cientistas, nasceu na ilha de Samos no ano de 582 a.C. A lenda ...
  • O TEMPLO DE SALOMÃO   PREFÁCIO AO POEMA Construído em Jerusalém há aproximadamente três mil anos, o Templo de Salomão é um ícone da maior importância na memória da humanidade. Foi o primeiro Templo de pedra ...
  • A ACÁCIA A Acácia: planta símbolo por excelência da Maçonaria; representa a segurança, a clareza, e também a inocência ou pureza. A Acácia foi tida na antiguidade, entre os hebreus, como árvore ...
  • A MAÇONARIA E O LIVRO DA LEI “decifra-me pelo estudo” Para minha esposa e família Aos mestres: Ir. Mário Proietti, Ir. Dorival Pinto, Ir. Francisco Rorato, Ir. Teobaldo Varoli Filho, Ir. José Luiz Gibim Xocaira e Ir. ...
  • O ESTILO GÓTICO A Arquitetura Normanda ou Românica Os Maçons da Normandia, que acompanharam Guilherme d’Orange durante a invasão da Inglaterra, possuíam profundos conhecimentos no trabalho com a pedra. A sua ...
  • O COMPORTAMENTO DO MAÇOM DENTRO E FORA DO TEMPLO INTRODUÇÃOO tema “O COMPORTAMENTO DO MAÇOM DENTRO E FORA DO TEMPLO” está intrinsecamente relacionado aos princípios de nossa Sublime Ordem que propaga ser uma escola formadora de ...
  • NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE V: OS NÚMEROS SÓLIDOS NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE V OS NÚMEROS SÓLIDOSContinuando com o processo enunciado no capítulo anterior, os pitagóricos descobriram os números sólidos. Os mais simples e, ao mesmo tempo, os mais ...
  • NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE IV: OS NÚMEROS POLIGONAIS NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE IV OS NÚMEROS POLIGONAISOs pitagóricos, colocando pontos em correspondência dos vértices de polígonos regulares, não descobriram apenas os números triangulares pois, existindo polígonos virtualmente com um ...
  • NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE III: A ESTRELA FLAMEJANTE NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE III A ESTRELA FLAMEJANTEA divisão de uma circunferência em 2, 3, 4, 6 ou 8 partes iguais e o problema da inscrição nela de polígonos regulares ...
  • NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE II: OS NÚMEROS SINTÉTICOS NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE II OS NÚMEROS SINTÉTICOS A Maçonaria, com sua iniciação cerimonial, pode ser considerada uma corporação especializada na arquitetura sagrada onde elementos pitagóricos estão intimamente ligados ao simbolismo ...
  • NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE I: TETRAKTYS PITAGÓRICA E DELTA MAÇÔNICO NÚMEROS E ESOTERISMO – PARTE I TETRAKTYS PITAGÓRICA E DELTA MAÇÔNICO Tanto os antigos rituais como as mais antigas constituições maçônicas afirmam conjuntamente que a Maçonaria tem como finalidade o aperfeiçoamento do ...
  • TRÍPLICE ARGAMASSA “. Conceda-nos o auxílio de Tuas Luzes e dirige os nossos trabalhos a perfeição. Concede que a Paz, a Harmonia e a Concórdia sejam a tríplice argamassa com que ...
  • SOLIDARIEDADE EMERGENCIAL A construção de um templo maçônico e seus reais objetivos, como também galgar cada degrau da escada de Jacó, levam ou devem levar cada maçon a se despojar do ...
  • MAÇONARIA NA CHINA Maçonaria na China O surgimento da Maçonaria na China é efeito do processo de interpenetração dos interesses das potências marítimas europeias que através das suas Companhias das Índias Orientais demandaram ...
  • O NOME DA PEDRA DESPREZADA Trabalho no Grau de Mestre de Marca Estimados Ccomp., o presente trabalho teve como observação o canteiro de obras do Cristianismo alicerçado no novo testamento, sendo certo que há inúmeros ...
  • O PAINEL ALEGÓRICO DA LOJA DE APRENDIZ NO RITO DE YORK Intuito: “aprender mais para servir melhor”. O painel alegórico dos graus “constituem ajudas visuais que ilustram os princípios ministrados em cada grau. O quadro do primeiro grau representa através de ...
  • A MAÇONARIA ADORMECIDA: BREVES INDAGAÇÕES Muito intrigou-me o trabalho apresentado no tempo de estudo na Loja no dia 2 de outubro de 2013. Tal trabalho foi apresentado pelo I.: Silvio e em parca síntese ...
  • MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 3 MORALS AND DOGMA PARTE III O presente trabalho trata-se da tradução do Capítulo Primeiro (Ou seja, do Grau de Aprendiz) da obra máxima de Albert Pike, “Morals and Dogma of the Anciente ...
  • MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 2 MORALS AND DOGMA PARTE II DE III O presente trabalho trata-se da tradução do Capítulo Primeiro (Ou seja, do Grau de Aprendiz) da obra máxima de Albert Pike, “Morals and Dogma of ...
  • MORAL E DOGMA DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – PARTE 1 MORALS AND DOGMA Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry, prepared for the Supreme Council of the Thirty Third Degree for the Southern Jurisdiction of the ...
  • A INCLUSÃO MAÇÔNICA NO MUNDO Em diversas jurisdições maçônicas ao redor do mundo, a lista de 25 Landmarks de Albert G. Mackey é respeitada como algo intocável, afinal, sua vigésima quinta regra assim determina, ...
  • O GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO E A PARTÍCULA DIVINA GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO O Grande Arquiteto do Universo, etimologicamente se refere ao principal Criador de tudo que existe, principalmente do mundo material (demiurgo) independente de uma crença ou ...
  • A BÍBLIA MAÇÔNICA DO REI JAMES I – PARTE 2 PARTE 2 DE 2 CLIQUE AQUI PARA LER A PARTE 1 CASAMENTO ESPANHOL Outro fonte em potencial de renda era a perspectiva de um dote espanhol com um ...
  • A BÍBLIA MAÇÔNICA DO REI JAMES I – PARTE 1 PARTE 1 DE 2 Jaime VI & I (Edimburgo, 19 de junho de 1566 – Cheshunt, 27 de março de 1625) foi o Rei da Escócia como Jaime VI e ...
  • A PEDAGOGIA LIBERTÁRIA E OS MAÇONS A Educação Anarquista ou Pedagogia Libertária inscreve-se no contexto das teorias modernas da educação. Neste sentido, possui uma fundamentação filosófica e política que lhe é própria, embora esta fundamentação ...
  • O INEXATO TERMO ” EXALTAÇÃO” PARA O GRAU DE MM Inicio o presente traçado lembrando-vos que geralmente é conveniente “rejeitar dez verdades como sendo mentiras, do que aceitar uma única mentira como sendo verdade.” Antes de dissecarmos sobre o tema ...
  • O INEXISTENTE RITO DE YORK JUNTO AO GRANDE ORIENTE DO BRASIL “Estudai primeiro e vede depois, porque compreendereis melhor.” Apreendemos que temos a obrigação perante a verdade, e assim sendo, ouso apresentar à luz da razão o grande equívoco em nominar ...
  • O APRENDIZ: DESENVOLVIMENTO, LIMITAÇÕES E ASPIRAÇÕES Antes de iniciar a falar sobre o “desenvolvimento, limitações e aspirações” de um Aprendiz Maçom, necessário é definir, se possível, o que significa a palavra Aprendiz. Parafraseando Searle as ...
  • A FÉNIX – SIMBOLO DA ESPERANÇA E DO RENASCIMENTO – PARTE II Parte II O poeta romano Publio Ovidio Naso, conhecido como Ovidio, nos países de lingua portuguesa, nascido no século 43 a. C., descreveu a fênix do seguinte modo: “Estas criaturas (outras ...
  • O PROFETA AMÓS E A MAÇONARIA “ Assim me fez ver: Eis que o Senhor estava de pé sobre um muro E tinha em sua mão um fio de prumo. E Iahweh me disse: Que vês, ...
  • BREVE SIMBOLISMO DA ROSA E DA CRUZ A Ordem Rosa Cruz, de acordo com o Fama Fraternitatis (1614), teve origem com o “nascimento” do iluminado Christian Rosenkreuz em 1378, na Alemanha. Aos quatro anos dominava em conhecimento ...
  • A FÉNIX – SIMBOLO DA ESPERANÇA E DO RENASCIMENTO – PARTE I Este trabalho nada mais é do que um ensaio de vários relatos, estudos e textos que falam de forma símile sobre a Fênix, símbolo de esperança e do renascimento, para ...
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Facebooktwitterrss